A indústria da Convergência e a internet das coisas
João Pessoa,
14 e 15 de Dezembro

eStoks: especializada em gerenciar estoques é destaque

A sede fica no estado de Pernambuco, e a primeira ideia para o empreendimento ocorreu há cerca de seis anos. A eStoks - http://www.estoks.com.br/ é uma empresa especializada em gestão e comercialização de ativos e estoques excedentes de grandes empresas. Funciona recuperando o investimentos das empresas, valorizando os bens de capital ou estoques que estão com baixo giro ou obsoletos nas grandes empresas e comercializando diretamente a uma rede de mais de 50 mil compradores cadastrados.

“A ideia nasceu na época que meu sócio e eu trabalhávamos em uma empresa de construção civil (Odebrecht) e notávamos que uma grande quantidade de materiais e equipamentos sobravam ao fim de uma obra e que as empresas não tinham uma solução definitiva e profissional que visasse uma melhor recuperação dos investimentos”, explica o CEO, Ricardo Salazar.

Convidado para trabalhar em um banco de investimento suíço em Sydney – Austrália, Salazar tomou conhecimento de uma empresa australiana que fazia parte do portfólio do banco que faturava milhões de dólares gerenciando a venda de ativos excedentes de empresas de construção civil e mineração. Essa empresa desde então passou a ser o benchmarking da eStoks. Ricardo e seus dois sócios, no ano passado, resolveram largar os atuais empregos e se dedicar à startup de forma mias intensa.

“Mudamos para o Rio de Janeiro e investimos na empresa fulltime. Não tínhamos faturamento, a empresa estava bem no início e sem perspectiva financeira para manter o negócio rodando com nossas economias pessoais. Cinco meses após nossa chegada no Rio, conseguimos nosso primeiro grande cliente, que nos encarregou de um projeto realmente grande. Isso chamou a atenção de investidores, aliado à qualidade dos empreendedores e perspectiva do nosso mercado, nos deu a tranquilidade que precisávamos para seguir adiante e estruturar melhor o negócio”, relatou.

Por acreditar na empresa e ver que possuem uma ideia tão competitiva quanto as demais, Salazar imagina que o intuito maior da competição na Conferência é conhecer startups de outros países e seus empreendedores, verificar possibilidade de parcerias, de trabalho conjunto, simbioses.

“Apesar das competição e dessa corrida louca, temos que buscar fortalecer a relação entre os empreendedores. Eles são oriundos do mercado canadense e nós do brasileiro. E se nos ajudássemos a cada um acessar melhor o mercado que o outro conhece tão bem? Muitos dos negócios se completam ou se ajudam. Por que não buscar criar parcerias ou uma união simbióticas entre as empresas?”, finalizou.

Sobre a conferência - A conferência Brasil-Canadá 3.0 é uma realização do Governo do Estado da Paraíba e do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e tem como patrocinadores master a Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid), Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC),Governo do Canadá e da Empresa Paraibana de Turismo (PBTUR). A edição deste ano acontecerá mais uma vez na Paraíba nos dias 5 e 6 de dezembro, no Centro de Convenções Poeta Ronaldo Cunha Lima, no polo Cabo Branco, em João Pessoa.

A Conferência reunirá Governo, Pesquisadores e Indústria de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para debater assuntos relacionados ao desenvolvimento e inovação. O título desta edição será “Processos criativos na indústria da convergência: oportunidades e desafios para a produção de conteúdo no ambiente da economia digital”.

Ascom